Home Notícias O olhar de Gerson Camarotti sobre a comunicação do Papa Francisco

O olhar de Gerson Camarotti sobre a comunicação do Papa Francisco

por Marcus Tullius

Na tarde do dia 20 de julho, a programação da 11° edição do Muticom contou com a participação do Jornalista Gerson Camarotti, comentarista político da Globo News e colunista no G1, portal de notícias da Rede Globo. Graduado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, especialista em Ciência Política (UNB). Na capital do Distrito Federal (Brasília), passou pelas agências das revistas Veja e Época, e pelos jornais O Globo, O Estado de São Paulo e Correio Braziliense. Além disso ele é coautor do livro Memorial do Escândalo (2005) e autor de Segredos do Conclave
(2013) e também é diretor de dois documentários jornalísticos: Morte e Vida Severina – 40 anos depois, uma visão jornalística, em 1995 e Morte e Vida Severina – 60 anos depois.

O auditório Mãe da Igreja ficou cheio, aproximadamente trezentas pessoas estavam unidas e com bastante expectativa para a palestra de Camarotti que trouxe aos participantes o tema, “Um olhar sobre a comunicação do Papa Francisco”. Durante a
palestra o comunicador deu ênfase à postura do Papa diante da sociedade e a imprensa. O público pôde conhecer com mais detalhes gestos, ações e a postura do Papa pela visão profissão do jornalista, “ele é um homem com modelo revolucionário, com simplicidade”, destacou.

Camarotti mencionou ainda a força e coragem do Papa Francisco em abordar temas polêmicos que englobam a sociedade na atualidade e como ele sabe levar os assuntos de maneira leve e humanizada, “ele tem coragem de fazer esse enfrentamento direto e isso ajuda na comunicação”. Também acrescentou que “ele próprio faz suas pautas, ele traz um tom diferente o do não julgamento e sim mais acolhimento da igreja”.

O jornalista conta histórias de viagens onde ele pôde observar a visão da imprensa internacional e de Roma. Ele relata que, antes do Papa Francisco, o encontro do Pontífice com a impressa era um momento muito apreensivo para todos. Acrescentou que era difícil conseguir imagens da Igreja do Vaticano. Este cenário mudou com o Papa Francisco. Segundo Camarotti, ele é muito aberto à impressa. “O papa foi eleito com esse compromisso de fazer mudanças na cúria na Santa Sé e adotou um estilo latino americano”, disse.

O padre Fábio, da Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo destacou a importância desse tema. “Eu achei bem interessante a questão de você perceber o olhar de outra pessoa que está de fora da visão eclesial, é a percepção de alguém que está no âmbito jornalístico e nos mostra uma visão ao mesmo tempo técnica do jornalismo”. Ainda acrescentou: “ele nos mostrou a firmeza de alguém que quer humanizar as relações e dar o sentido do que realmente representa a evangelização para a igreja, isso me marcou muito”.

Texto: Izamara Muniz, acadêmica de Jornalismo da PUC Goiás sob orientação da professora Sabrina Moreira | Foto: Rudger Remigio

Você pode gostar